terça-feira, 17 de julho de 2018

PESQUISA HORTIFRUTI – JULHO/2018

O Centro de Estudos e Pesquisas do PROCON Barretos, realizou pesquisa de preços de produtos Hortifruti em 06 estabelecimentos comerciais, no período de 16/07 a 17/07/2018.

Em relação ao preço médio do mês anterior, verificamos que ocorreu uma queda de 3,31% nos preços, de R$ 112,68 para R$ 109,07, porém essa queda ocorreu devida ha falta de alguns produtos nos estabelecimentos.

Alguns produtos que apresentaram redução no preço:

- Cebola (Kg): Mês anterior R$ 3,49 à R$5,98 (menor e maior preço) e no mês de julho pode ser encontrado por R$ 1,68 e R$2,98, variação de 107,73% no menor preço e no maior, variação de 100,67%;

- Abobora (Kg): Mês anterior R$ 2,29 e no mês de julho pode ser encontrado por R$ 0,98, variação de 133,67%;

- Batata (Kg): Mês anterior R$ 3,49 e no mês de julho pode ser encontrado por R$ 2,58, variação de 35,27%;

Portanto orientamos o consumidor a fazer uma pesquisa antes de sair às compras e procurar adquirir produtos de época, para conseguir economizar.


Clique aqui e acesse a pesquisa completa.

quinta-feira, 12 de julho de 2018

Palestra – Divisão Regional do DER/Barretos

O Procon Barretos ministrou palestra aos funcionários do DER, no dia 11/07/2018, na semana referente a prevenção de acidentes do trabalho, bem como a valorização pessoal e elevação da autoestima de cada um.

A palestra tem como objetivo orientar os funcionários sobre direitos e deveres dos consumidores, embasado no CDC – Código de Defesa do Consumidor, e informações sobre atual situação do mercado financeiro, com distribuição de material educativo.

O Procon agradece o convite e a participação de todos.

quinta-feira, 5 de julho de 2018

7 atitudes para combater o aquecimento global


Enfrentar o aquecimento global é um dos maiores desafios atuais da humanidade. Populações de todas as áreas do planeta já lidam com as consequências desse problema, que traz um clima imprevisível e extremo, causando prejuízos enormes como a escassez de alimentos, a necessidade de deslocamento de populações e a extinção de espécies.

1. Reduza o consumo de carne bovina
A agropecuária é uma das maiores fontes de emissão de gases de efeito estufa no Brasil, não só pela sua prática como pelo desmatamento associado. Representa 61% das emissões de GEE totais do Brasil, considerando o uso da terra. O gado, em seu processo de digestão, gera o gás metano, que causa o efeito estufa em uma proporção 21 vezes maior do que o gás carbônico, contribuindo fortemente para o aumento da temperatura média do planeta. Por isso, repense sua alimentação. Diminua o consumo de carne bovina, procurando substitui-la, quando possível, por outras fontes de proteína – preferencialmente vegetais.

2. Evite o uso de canudos e copos descartáveis
Esses utensílios são usados por poucos minutos e sua produção emite gases de efeito estufa, além de serem produzidos a partir de matéria prima fóssil, de um subproduto do petróleo. Assim, prefira recipientes duráveis, que poderão ser utilizados várias vezes, aproveitando assim o mais longamente possível os recursos consumidos na sua fabricação.

3. Faça pequenos trechos a pé
Evite o uso do carro sempre que possível. Os veículos, na queima de combustíveis, emitem gases de efeito estufa. Para percursos de até 3 km de distância, ir a pé é a escolha com menor impacto ambiental, sendo bom para a saúde e eliminando a emissão de GEE. Se você trocar o carro pela caminhada, por exemplo, cinco vezes na semana, em um curto percurso (1,5 km no total de ida e volta), ao longo de uma vida, será evitada a emissão de uma quantidade de gases de efeito estufa (GEE) equivalente àquela emitida na produção de energia elétrica para uma residência por 41 anos!

4. Não desperdice alimentos
O processo de decomposição dos alimentos também libera gases GEE, por isso, evite o desperdício. Uma boa dica é preparar somente a quantidade de comida para consumo imediato. Ainda assim se sobrar, coloque na geladeira e coma mais tarde, ou congele-a para preservá-la por mais tempo. Outra sugestão é reaproveitar as sobras de folhas, talos e cascas de hortaliças em receitas criativas, para evitar que essas partes nutritivas dos alimentos sejam jogadas fora. Já pensou em fazer um doce com casca de laranja ou um bolinho com talos de beterraba? Delícia!

5. Desligue a luz ao deixar um ambiente
Economize energia elétrica, principalmente no período mais seco do ano, o inverno. Nessa época, chove menos e os níveis dos reservatórios de água das hidrelétricas ficam mais baixos. Quando isso acontece, é necessário acionar as usinas termoelétricas, que lançam mais gases de efeito estufa na atmosfera.

6. Compre roupas de segunda mão
Quando você compra roupas de segunda mão, está ajudando a aumentar a vida útil desses produtos, ou seja, fazendo valer os recursos que nela foram consumidos. Todo o processo de produção de roupas e acessórios de moda emite gases de efeito estufa, entre outros impactos ao meio ambiente e à sociedade. (https://www.akatu.org.br/noticia/moda-consciente-saiba-por-que-e-importantecomprar-com-criterio-e-fazer-as-pecas-durarem-mais/)

7. Reduza o volume do seu lixo
Diminua o volume do seu lixo e faça o descarte correto dos resíduos. Ao diminuir o volume de resíduos, menos terá que ser transportado seja para aterros sanitários, seja para reciclagem, o que reduz a emissão de gases de efeito estufa nesse transporte.

Fonte: AKATU